Crítica: A Incrível História de Adaline

13:55

 A Incrível História de Adaline - Poster / Capa / Cartaz - Oficial 1
Título Nacional: A Incrível História de Adaline  
Ano: 2015 
Título Original: The Age of Adaline  
Dirigido por: Lee Toland Krieger 
Tempo: 112 minutos  
Sinopse: Adaline Bowman (Blake Lively) nasceu na virada do século XX. Ela tinha uma vida normal até sofrer um grave acidente de carro. Desde então, ela, milagrosamente, não consegue mais envelhecer, se tornando um ser imortal com a aparência de 29 anos. Ela vive uma existência solitária, nunca se permitindo criar laços com ninguém, para não ter seu segredo revelado. Mas ela conhece o jovem filantropo, Ellis Jones (Michiel Huisman), um homem por quem pode valer a pena arriscar sua imortalidade.
    Voltando com as críticas depois de tanto tempo, agora um filme da Blake Lively que continua linda após ganhar o bebê, outra grávida linda é a Leighton Meester que está bem redondinha agora.

    
    Mas vamos voltar ao filme, Adaline é uma jovem comum, o filme mostra a sua vida do inicio até o ponto do acidente, ela nasceu no fim da Segunda Guerra Mundial, cresceu de forma normal, casou e teve uma filha, seu marido acabou falecendo e ficaram só as duas para cuidarem uma da outra, até que em uma viagem para encontrar a filha Adaline sofre um acidente de carro, fazendo-a ficar submersa no lago e em certo ponto seu coração para, ela morreu naquele dia, mas como explicado no filme, que é muito confuso explicar agora, vou resumir o que aconteceu, um raio caiu no carro dando um choque que fez seu corpo reagir e voltar a vida, mas esse evento fez ela parar de envelhecer.


    Tudo ocorreu tranquilo, afinal ela pensou que nada mudara desde então, até que o tempo passou e com a sua filha já crescida na faculdade começaram a perceber que nada acontecia com sua mãe, isso foi o ponto para Adaline começar a fugir, procurada teve que abandonar a filha e seguir de cidade em cidade ao longo dos anos, e no decorrer do século que virava.

    Um ponto importante é que tudo isso é mostrado enquanto ela está no presente, vendo uma fita antiga que achou em seu atual emprego em uma biblioteca, as visões da sua vida, de tudo que aconteceu passa por ela, é um jeito diferente de apresentar a história os flashbacks encaixavam de boa forma que foi fácil montar o passado da personagem.



     Seu atual pseudônimo é Jennifer Larson, preparando-se para mais uma virada de ano, ela acompanha sua amiga cega para a festa, foi então que tudo volta a mudar, a finalmente sair do padrão que ela seguir por longos anos, ela encontra Ellis que o clichê ataca um pouquinho a cena, entre o primeiro olhar aparece a química e o filantropo, Michiel Huisman com cabelo comprido não ficou o cara mais bonito do mundo, mas ele contracenou tão bem com a Blake que a interação foi inegável.
       Eis que o amor surge, Ellis já conhecia ela de vista e aquela foi a oportunidade de se aproximar da Jenny (atual nome), entre encontros ela percebe que está começando a se apaixonar, o que mostra mais do seu passado, em uma certa cena ela passa de taxi em frente a um parque e tem a lembrança de um jovem homem que a espera para um encontro, em suas mãos está um anel de noivado, vendo pelo taxi ela foge sabendo que se ficasse com ele teria que contar seu segredo e ver ele envelhecer e morrer enquanto ela continuava a mesma.

  Eu gosto de ver o crescimento desse amor, a forma como ela luta para desapegar do sentimento, mas mesmo assim não consegue, em uma cena bastante marcante é a morte do cachorrinho dela, Reese, ele é filhote dos antigos cachorros que ela teve ao longo desses anos, mesmo mudando de cidade ela se apegou a solidão, e só eles eram seus companheiros, a morte do animal parece quebrar o ciclo vicioso de nunca mudar, de nunca se dar a chance de se apaixonar.


  Ellis é uma pessoa romântica que tenta de tudo para conquistar a mulher que se apaixonou, no primeiro jantar deles, ele prepara cachorro quente pra ela, e diz como a conheceu, ali você percebe o homem determinado que ele é, para conseguir o encontro e todo o decorrer do romance entre eles, outra cena marcante para os fãs que amam a Blake é em uma cena que ela fala português, a voz natural dela em nosso idioma ficou uma fofura, tá que é uma versão espanhola e portuguesa junta, já que assemelha e muito pra eles a nossa linguagem na forma de dicção.



   Eis que tudo muda em uma viagem para a casa dos pais dele, para comemorar mais um ano de casados, ele leva Adaline, é a chance dela se aproximar ainda mais dele, conhecer a família do namorado é um passo importante para a relação, só lamento o filme não ter apresentado mais sobre eles, a irmã é a figura e a mãe uma doçura, mas sabe o por que dessa mudança? Ellis é filho de William, o mesmo homem que ela se apaixonou anos antes, aquele do banco e do anel de noivado, reconhecendo ela diz que é filha da Adaline, então vagamos para a história do antigo casal, Anthony Ingruber é lindo e caiu benzinho no papel de William jovem, já Harrison Ford interpretando o personagem mais velho deixou aquele ar de um homem apaixonado que foi abandonado sem saber a razão.


  Angustiada por ser descoberta ela decide abandonar Ellis, pobre Ellis que acaba sem saber de nada em seu início, como contar para o seu namorado que você já ficou com o pai dele quase trinta anos atrás? É meio improvável e nada facilita depois que William descobre, tudo desmorona e ela volta a fugir, em meio ao caminho ela para e avalia o que a filha dela disse, Ellen Burstyn fez um papel maravilhoso, ver a atriz com uma certa idade contracenando com uma jovem que é sua mãe, sim foi uma atuação magnífica, houve esse carinho de uma jovem filha pela sua mãe, parabéns a atriz.


  Me senti sofrendo com ela, sei que é meio bobo não escolher o amor quando se está de frente pra ele, mas ali apresenta uma forma diferente, você está disposta a fica ao lado dele, vendo-o envelhecer e morrer sem você poder fazer nada? Ou é melhor ir embora e esquecer? Não sei qual decisão eu tomaria, mas a dela no filme faz parte para o final feliz, o filme é basicamente a mesma coisa que O Curioso Caso de Benjamin Button de 2008, mas ao contrário, para quem assistiu sabe sobre o que estou falando, mesmo sabendo que o final irá ser clichê e todo o resto você ainda insiste em continuar, um bom filme para os apaixonados por romance e que acredita que tudo pode mudar pelo amor. 
   A crítica está acabando, acalme-se que não será tão longa assim, dividirei entre a parte do figurino por último, já que foi um ponto legal que notei em seu conteúdo apresentado.
    Pois bem, ela decide que fugir não vai adiantar e com isso volta, escolhe o amor, bem clichê é óbvio, mas tem muita gente que faria o mesmo depois de tanto fugir e lutar para não amar.
    Fiquei encantada com o evento a seguir, as cenas foram mescladas do antes e do depois, até o ponto que ela novamente sofre outro acidente, os flashs são vividos por nós que se unem em uma única imagem, aquele acidente e o antigo em um só, um destino mudando novamente, desta vez mudando.


  O final foi a base para um romance cinematográfico, ter os momentos e o fechamento da história é digno de um conto de fadas que acabou com seu final perfeito. Não sou fã de romances, mas o filme foi um charme e doce para quem gosta, a Blake foi ótima e o que dizer do diretor de fotografia David Lanzenberg e ao produtor de designer Claude Paré, toda a arte foi uma delicadeza a parte, ter aquele toque vintage, clássico que a personagem teve mesmo com os dias atuais, foi um ótimo filme, recebe três estrelas por ter essa equipe maravilhosa e todo o enredo com drama e romance.
    Vou fazer uma segunda parte da crítica logo mais, sendo focada no figurino de Adaline que foi realmente uma preciosidade que eu mesma queria alguns pra mim.
    Espero que tenham gostado.
Xoxo

You Might Also Like

7 Comentários

  1. Ainda não tinha ouvido falar desse filme, mas fiquei bastante afim de assisti-lo, o enredo parece fascinante...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Romance interessante, é bom para curtir com o namorado no frio. Ainda tem a Blake pra quem ama Gossip Girl.
      xozo

      Excluir
  2. Nunca ouvi falar, mas tem uma boa premissa! Seguindo seu blog

    Submerso em Palavras
    http://blogsubmersoempalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem legal o filme, e tem a pegada do século passado. E como sou apaixonada por vintage adorei o figurino e fotografia.
      Já seguindo o teu também.
      Xoxo

      Excluir
  3. Estou doida para ver esse filme, confesso que só por causa da Blake,
    mas pelo seu post vi que a história é boa

    Beijooos
    http://le-duo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também comecei pela Blake, sabe que o filme me conquistou.
      É diferente do padrão normal, apesar do cliche do final feliz. Mas vale a pena.
      Xoxo

      Excluir
  4. Quero tanto ver esse filme. Sou fã da Blake e só por isso eu veria.
    A Leighton grávida está linda mesmo
    Beijos

    ResponderExcluir

Blogs Brasil

Editoras

Flickr Images

FOLLOW @KAMMYKRYSTHIN

FOLLOW @SECRETMAGICBLOG