Crítica: Maleficent

julho 09, 2014



 Minha primeira critica de filme, Sessão Pipoca esta no ar.


DADOS DO FILME

Malévola 2014
Maleficent
Dirigido por: Robert Stromberg
Classificação: 10 anos
Duração: 97 minutos


Maleficent é a história não contada da icônica vilã do clássico da Disney de 1959, A Bela Adormecida. Uma bela e inocente mulher, Malévola tem uma vida idílica, crescendo em uma pacífica floresta do reino, até que um exército invasor passa a ameaçar a harmonia da sua terra. Malévola então se torna a destemida protetora do local, mas acaba sofrendo uma cruel traição - um ato que começa a transformar seu coração puro em pedra. Decidida a se vingar, Malévola encara uma batalha épica com o sucessor do rei invasor, colocando uma maldição na sua filha recém-nascida, Aurora. Conforme a criança cresce, Malévola percebe que Aurora é a chave para a paz no reino - e talvez para a sua felicidade também.

ESTREIA NO BRASIL:
29 de Maio de 2014


ELENCO
Angelina Jolie - Malévola
Brenton Thwaites - Príncipe
Elle Fanning - Princess Aurora
Isobelle Molloy - Young Maleficent
Kenneth Cranham - Rei Henry
Sam Riley - Diaval


Vamos oficializar o 100º post do blog com a critica desse filme, apesar de ser um filme da Disney é bem maduro para um conto de fadas, clássico infantil.
Vou ressaltar também algo que vem acontecendo ultimamente nos filmes para as crianças, o clichê de príncipe encantado e final feliz esta mudando, o foco se volta para algo atual e mais importante o verdadeiro amor, não um príncipe que encontrou em um dia e no outro já esta casando. Veja Frozen, a união das irmãs se mostra o principal foco na história, como o próprio filme cita, quem é louco por querer casar com o cara que conheceu no mesmo dia? Ou talvez Valente, Merida luta para salvar a mãe, unindo-as como nunca foram, a família foi o destaque nos dois, outro também é a Princesa e o Sapo, não era uma princesa, e sim uma garota simples e negra, a primeira princesa negra e que ainda vira sapo. Percebem como as coisas mudam? Espero ver um dia talvez uma princesa lésbica ou até mesmo um príncipe gay, sem preconceitos pra mostrar que todos são iguais, até mesmo para as crianças que ser diferente é ser especial.
Certo já parei com o discurso, vamos a crítica em si.
Sou fã de terror, suspense e maldade escorrendo da tela, isso já mostra que aceitar uma personagem que é o ícone de maldade nos contos de fadas se transformar em uma pessoa boa é meio difícil. Vou tentar não dar muitos spoilers, principalmente para aqueles que não viram, então como sabem o filme retrata a vida de Malévola até então uma fada, a mais poderosa desde pequena se apaixona por um garoto e no passar do tempo eles vão se afastando por causa da fome de poder dele, já adultos seguem caminhos separados, mas chega a oportunidade do grande amor dela acabar literalmente com a nossa heroína, transformando-a em vilã, ainda me pergunto, porque asas negras e pontudas assim? Que tipo de fada ela era afinal, se eu deixei passar algo era porque estava com sono, então relevem se esqueci de algo ai.

Bem depois de todo o mal causado a Malélova, ela decide se isolar e espreitar nas sombras seu antigo amor governando agora um reino e construindo uma família, que não é com ela. 
Acho legal em todo o filme a construção da personagem com o seu corvo, Diaval muito fofo pra ser do mal, ela o salva e assim ele vira seu servo eterno, este passa a espionar o rei e sua nova família, anos se passam depois disso, até que Aurora nasce, ó sim a princesa tão desejada e finalmente amaldiçoada.
Com uma entrada maravilhosa nossa diva Angelina Jolie marca o filme em sua versão má, as três fadinhas tontas (bem burras por sinal) não foram páreo pra ela, jogando a maldição que dá origem ao conto inicial deixando Aurora em pleno perigo com poucos dias de vida, mesmo com o pedido de joelhos do rei ela não muda, só alivia um pouco, dizendo sobre o beijo de amor verdadeiro.
Como sabem a história segue seu rumo, a criança é levada para os cuidados das três fadas que nem ao menos sabiam cuidar da menina, o que foi mais um caso para a aproximação da nossa vilã da pequena peste, como a própria Malévola chama Aurora, ela e Diaval passam a observar secretamente o crescimento da princesa, Diaval sendo como um pai até balançando o berço para a bebê dormir, isso ele como corvo, fofo não acham?
Depois de grande Malévola leva Aurora para conhecer o outro lado da cerca de espinhos, reconhecendo a sua fada madrinha, Aurora ganha o carinho de Malévola, o filme mostra esse carinho crescer cada vez mais, até que Malévola se arrepende e tenta retirar a maldição o que não é possível, chega a aparecer o príncipe de Aurora e toda a trama se torna mais interessante, com a nossa vilã levando o jovem príncipe para salvar a doce Aurora.
Interessante também foi a fala desse príncipe ao ser digamos que obrigado a beijar a Bela Adormecida. 

"Será que é certo beijá-la, a gente só se viu uma vez, ela nem me conhece direito... Ela é bonita e tals, mas será que é amor a primeira vista? Existe isso?

Exatamente o que comentei lá em cima, mesmo com o beijo ela não acorda, mas sim com a de Malévola, não na boca o que muitos acharam que aconteceria, mas um beijo na testa como um adeus de uma mãe para a filha, o que propriamente pareceu pra todos, as duas se tornaram uma família, ai vem aquele ponto que comentei, a união de amor verdadeiro não por príncipes e tudo mais, mas sim por laços de amor familiar, apesar delas não terem nenhuma ligação de sangue, foram construídas no enredo para parecerem mãe e filha. E Fim, o Felizes Para Sempre.

Sei que foram muitos spoilers ai, mas tinha que comentar sobre o que aconteceu pra realmente deixar a minha opinião.

Apesar de ter tido uma fotografia ótima, efeitos especiais incríveis o filme não chegou a me encantar, é legal ver esse ponto explorado, mas mudaram completamente a personagem, de Malévola para Benévola como muitos criticaram, eu sou fã da versão original de 1959, a vilã elegante e assustadora, com aquele toque sombrio e macabro, ótimo pra assustar crianças, transformaram ela em uma fada não a bruxa maravilhosa que é, as fadas que tanto gostava viraram burras e patéticas, seres que não deveriam ser apresentados assim, o pai e rei se tornou o verdadeiro vilão e todo o conto se transformou em algo bom, esperava mais realmente não houve climax quando a Aurora espetou o dedo, a própria princesa não foi bem apresentada, bem ingênua e curiosa, não gostei da atuação da Elle, foi bem infantil, dou os parabéns a Angelina que foi ótima em cena, ao Sam que fez um Diaval irônico e bem fofo, senti um clima entre ele e a Malévola, um ponto legal no meio disso, só que queria algo mais, todos querem esse algo mais, mas pra mim faltou aquilo que encantou. 

Minha classificação foram 3 estrelas por um contexto geral, mas nada muito especial ou incrível, quem gosta de clichê, como conto de fadas vai gostar.

Classificação: ✫ ✫ ✫ 
Fotografia: 9,5
Efeitos Especiais: 9,5
Enredo: 5,0
Atuação: 7,0 (Por causa da Angelina)


Bem é isso pessoal, encerrando o post de numero 100, espero que gostem, lembrando que essa é a minha opinião, ninguém é obrigado a concordar, mas sim respeitar. Deixem a sua opinião também, adoraria discutir sobre.
Xoxo

You Might Also Like

0 Comentários

Popular Posts

Blogs Brasil

Editoras

Flickr Images

FOLLOW @SECRETMAGICBLOG

Subscribe